sábado, 14 de janeiro de 2017

O Centenário do Nascimento do Escritor Romeu Correia (1917 - 2017)


Este ano assinala-se o centenário de Romeu Correia, o principal escritor do concelho de Almada.

Romeu foi um grande amigo das bibliotecas populares de Almada, como se comprovou logo na edição do seu primeiro livro de contos, "Sábado sem Sol", em que agradecido pelo apoio, distribuiu parte dos lucros da sua primeira edição pelas Bibliotecas da Incrível e da Academia Almadense.

Devido ao seu talento como escritor e dramaturgo foi-lhe atribuído o diploma de "Sócio Honorário" da Incrível Almadense.

A forma que encontrámos para o homenagear é publicar uma pequena nota de leitura todos os meses sobre uma das suas obras presentes na nossa biblioteca.

(Fotografia de Luís Eme)

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

A Incrível em Destaque na História das Bibliotecas


Luís Alves Milheiro publicou a 2.ª edição de "As Bibliotecas Populares e o Desenvolvimento Cultural em Almada", um ensaio histórico que além de historiar o aparecimento das bibliotecas populares em Almada, faz a sua ligação ao desenvolvimento cultural da nossa Terra.

A Incrível merece um destaque especial, por ter aberto a primeira biblioteca popular em Almada e também por na actualidade ser a única grande colectividade que tem os seus livros ao dispor dos seus associados.

Uma leitura importante para quem gosta de história local e de livros.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (8)


Continuando com Ramalho Ortigão, grande figura das nossas letras na segunda metade do século XIX, falamos-vos hoje da sua obra, "Banhos de Caldas e Águas Minerais", com uma viagem deliciosa pelas principais termas do nosso país.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (7)


"Em Paris" é um olhar crítico de Ramalho Ortigão sobre esta Cidade e as suas Gentes.

É um retrato de época delicioso.

sábado, 1 de outubro de 2016

A Incrível Faz 168 Anos!


A Sociedade Filarmónica Incrível Almadense comemora hoje o seu 168.º aniversário.

Apesar da longevidade, continua a ser um exemplo da prática do Associativismo em Almada.

A Biblioteca dá os parabéns à Incrível e a todos os Incríveis!

sábado, 3 de setembro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (6)


Temos recebido muitas ofertas de livros de antigos associados e também dos seus familiares.

Muitos deles não sabem o que fazer aos livros. Aliás, sabem que não os querem deitar para o lixo.

Embora tenhamos um espaço com limitações, continuamos a receber livros, porque acreditamos que ainda podem ser lidos...

A "Tenda dos Milagres" de Jorge Amado, é uma dessas ofertas.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (5)


Na nossa estante de "Liteartura Portuguesa" encontrámos o "Diário" de Mário Sacramento, em que o autor faz um registo muito pessoal dos anos de 1967 a 1969.

Mais uma boa obra à dispor dos Incríveis.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A Incrível Está Bem Representada no Ciclo "Escritores - Memória Viva de Almada"


A Incrível Almadense está muito bem representada no Ciclo "Escritores - Memória Viva de Almada", que decorre às quartas feiras (quinzenalmente) na Sala Pablo Neruda do Forum Romeu Correia, pois dos quatro escritores convidados três são Incríveis. 

Referimos-nos a Fernando Barão, Luís Alves Milheiro e Alexandre Castanheira, sócios com um passado que nos orgulha a todos, como dirigentes e animadores culturais.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (4)


"História de Mulheres" é um conjunto de contos e novelas de José Régio, em que as principais personagens são sempre mulheres.

É um dos bons livros de prosa de Régio, que para muitos é sobretudo um poeta. Algo completamente errado, pois José Régio escreveu um pouco de tudo, inclusive teatro e ensaios.

Esta obra foi editada pela Portugália Editora em 1968 e é a sua terceira edição. A capa é de João da Câmara Leme.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (3)


O livro de contos, "Este Mundo dos Homens", da autoria de Orlando Gonçalves, enriquecido com as bonitas ilustrações de Cipriano Dourado, editado pela Orion no começo da década de 1950, aborda a temática neo-realista, tão em voga nesses tempos, para quem fazia da sua escrita uma forma de oposição ao poder ditatorial vigente no nosso país.

A obra é dedicada a Ferreira de Castro, Assis Esperança e a Cipriano Dourado e também para: Todos os Homens que têm permanecido Homens.

Apesar de não ser um autor muito conhecido, Orlando Gonçalves tem uma escrita escorreita, oferecendo-nos belos contos desses tempos difíceis suportados pela generalidade dos portugueses.