segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A Incrível Está Bem Representada no Ciclo "Escritores - Memória Viva de Almada"


A Incrível Almadense está muito bem representada no Ciclo "Escritores - Memória Viva de Almada", que decorre às quartas feiras (quinzenalmente) na Sala Pablo Neruda do Forum Romeu Correia, pois dos quatro escritores convidados três são Incríveis. 

Referimos-nos a Fernando Barão, Luís Alves Milheiro e Alexandre Castanheira, sócios com um passado que nos orgulha a todos, como dirigentes e animadores culturais.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (4)


"História de Mulheres" é um conjunto de contos e novelas de José Régio, em que as principais personagens são sempre mulheres.

É um dos bons livros de prosa de Régio, que para muitos é sobretudo um poeta. Algo completamente errado, pois José Régio escreveu um pouco de tudo, inclusive teatro e ensaios.

Esta obra foi editada pela Portugália Editora em 1968 e é a sua terceira edição. A capa é de João da Câmara Leme.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (3)


O livro de contos, "Este Mundo dos Homens", da autoria de Orlando Gonçalves, enriquecido com as bonitas ilustrações de Cipriano Dourado, editado pela Orion no começo da década de 1950, aborda a temática neo-realista, tão em voga nesses tempos, para quem fazia da sua escrita uma forma de oposição ao poder ditatorial vigente no nosso país.

A obra é dedicada a Ferreira de Castro, Assis Esperança e a Cipriano Dourado e também para: Todos os Homens que têm permanecido Homens.

Apesar de não ser um autor muito conhecido, Orlando Gonçalves tem uma escrita escorreita, oferecendo-nos belos contos desses tempos difíceis suportados pela generalidade dos portugueses.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (2)


"Flores ao Telefone" é o título de um dos livros de contos de Maria Judite de Carvalho da nossa biblioteca, que aconselhamos, a todos aqueles que gostam de histórias cheias de pessoas e de acontecimentos do nosso dia a dia.

Maria Judite de Carvalho foi jornalista e escritora e também esposa de um grande escritor, Urbano Tavares Rodrigues, que foi visita da nossa casa.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Porque Hoje se Festeja Saramago


Porque hoje se festeja José Saramago, o nosso Nobel da Literatura, que faria 93 anos, mostramos com orgulho o seu autógrafo para a nossa biblioteca, do livro "Objecto Quase"...

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Boas Leituras da Nossa Biblioteca (1)


Estreamos hoje uma nova rubrica fruto da leitura de livros da nossa biblioteca, as "Boas Leituras da Nossa Biblioteca".

E não podíamos escolher melhor livro que a "Intervenção Sonâmbula" de José Gomes Ferreira, editado pela "Diabril" em 1977.

Trata-se de uma espécie de diário sobre o PREC, com uma incidência especial sobre o ano "quentíssimo" de 1975, principalmente de 11 de Março a 25 de Novembro, com o olhar irónico de uma grande poeta e escritor, que escolheu as palavras para fazer a sua Revolução.

É um livro aconselhável para todos aqueles que gostam da nossa história recente, ou que queiram perceber um pouco melhor o que se passou no nosso país, num período onde se sonhava e lutava quase com a mesma força...

terça-feira, 6 de outubro de 2015

A Biblioteca Homenageia António Henriques


A biblioteca faz parte de um dos quatro módulos da exposição de António Henriques, onde mostra todas as obras literárias de António Henriques e da Incrível, com um grande orgulho.

terça-feira, 23 de junho de 2015

O "Fado Incrível"


Na Cerimónia de Abertura das Comemorações do Centenário de António Henriques foi editado um cd em sua homenagem, com uma canção ("Almada Terra Coragem"), um fado ("Fado Incrível") e um poema ("Um Nome Imortal"), todos da autoria do Incrível Orlando Laranjeiro, musicados por João Fernando, interpretados por Luísa Basto.

Fado Incrível

Mora na Rua Direita
Filha ilustre d’Almada
Nas virtudes é perfeita
Com história de vida feita
A amar e ser amada

Quando em Outubro nasceu
À mesa de uma taberna
Logo o povo se rendeu
Por amor lhe prometeu
Que teria vida eterna

Por julgarem impossível
Tão linda maternidade
Deram-lhe o nome de Incrível
Nesse dia inesquecível
Houve vivas à liberdade

Música, a inspiração
E cultura seu desígnio
Velha de cravo na mão
Ainda inspira paixão
Mantém o mesmo fascínio